A motorista perfeccionista.

Se você tem uma tendência a ser perfeccionista, na hora de aprender a dirigir, de treinar, você vai criar um roteiro (historinha) perfeccionista de como a situação tem que acontecer, e vai exigir de você, e do mundo em sua volta, nada menos do que imaginou.

Primeiramente, a perfeição não existe, sempre vai aparecer alguém para colocar defeito em algo que fizermos, as vezes nem é por maldade, simplesmente é por uma questão de diferença de gosto, personalidade, visão. Essa sem dúvida alguma, é uma postura que tem que ser trabalhada, porque assim como o medo, ela também é limitadora. Geralmente, para o perfeccionista, não existe, meio termo, é oito ou oitenta, tudo ou nada.

Quando você cria uma historinha de você dirigindo um carro perfeitamente, sem errar ,sem ninguém buzinar, com trânsito zero ,com seu marido, namorado, filho, dizendo como você é perfeita, você vai se frustrar antes de conseguir sair da garagem ou vai desistir.

Porque?

Porque se ao sair da garagem, qualquer erro simples como por exemplo: esqueceu de baixar o freio de mão no momento exato, seu radar de erro já apita e a mente manda: “Por que eu sempre faço algo errado?”

Ou começa a chover:

“Porque na minha vez tem que chover? Está vendo não era pra ser hoje!”

Deixa o carro morrer uma vez:

“Eu nunca vou conseguir fazer :(“

Alguém buzinou:

“Ai vergonha, estou atrapalhando o trânsito!”

Isso vai longe, e você vai ficando ainda mais nervosa, olha no espelho retrovisor e enxerga o carro de trás como um monstro que vai te atacar.

Focando no negativo, você volta para casa e começa aquele diálogo interno, como Anjinho x  Diabinho dos desenhos animados? O anjinho te dá apoio (foco no positivo) e o diabinho começa a falar e repassar tudo de horrível que aconteceu e o que ainda pode acontecer (foco no negativo) e quem hoje está ganhando a batalha no seu cérebro? O diabinho? Porque? Por causa da sua história, pois você está dando ouvidos para essas vozes e te põe para baixo.

Você conta suas vitórias?

Não estou perguntando se segundo a história que você criou, você se acha vitoriosa, Pergunto aqui, no mundo real, em que todos erram até aprender, você dá crédito e força para você mesma?

Você alimenta seu anjinho, para receber mais força de vontade, motivação, alegria e dopamina?

Você se recompensa e comemora suas vitórias?

Aliás, você percebe as suas vitórias?

O diferencial para o meu sucesso: comecei a me cobrar menos, e comemorar as mínimas conquistas.

Pare agora de criar historinhas perfeitas, e se cobrar, se por para baixo, para mostrar perfeição para os outros, fique centrada em você, e se apoie de crédito para suas vitórias, alimente seu anjinho seu lado de crescimento, faça ele ganhar a batalha.

Antes de esperar por apoio externo, você precisa se apoiar e acreditar que sempre pode mais, seja gentil com você, o mundo fará o mesmo.

Não espere seu mundo mudar, entre em campo primeiro e mude você o seu mundo, entre em ação e faça acontecer!

Acredite em você, dê o próximo passo e dirija sua vida